Autor

Arquivo do blogue

Mega-manifestação contra regras da pesca lúdica será em Odemira a 14 de Março

A próxima manifestação de protesto contra o novo regime da pesca lúdica no Parque Natural do Sudoeste Alentejano e Costa Vicentina (PNSACV) já tem data marcada. Será no dia 14 de Março, sábado, às 16 horas, às portas da sede do PNSACV, em Odemira.

Após o sucesso da manifestação de domingo passado, em Sagres, os pescadores lúdicos do Algarve e Alentejo voltarão a juntar-se, no concelho de Odemira, para mostrar a sua revolta. Os praticantes exigem a suspensão imediata da nova Portaria.

Segundo comunicado do Movimento pela Revisão da Portaria 143/2009, constituído por praticantes residentes nos concelhos de Vila do Bispo, Lagos, Lagoa, Portimão e Silves, «o intuito deste Movimento prende-se com acções socialmente responsáveis, dentro da legalidade e num âmbito de respeito por todos os intervenientes, repudiando qualquer tentativa de aproveitamento político-partidário».

É que, na manifestação de domingo, participaram representantes dos partidos, que aproveitaram os órgãos de comunicação social para mostrarem que apoiavam os pescadores. Estiveram por lá o deputado do PSD Mendes Bota, o deputado do PCP José Soeiro, ou mesmo o candidato do PS à Câmara de Vila do Bispo Adelino Soares.

O Movimento rejeitou ainda a hipótese do corte de estradas e do incitamento ao boicote às eleições, pois apenas querem «dialogar com todas as entidades responsáveis».

Assim, este movimento cívico de pescadores quer a alteração de «seis pontos essenciais no entendimento de todos os pescadores lúdicos que aderiram ao abaixo-assinado», garantiram em comunicado.

As alterações que propõem são a permissão da pesca lúdica durante os sete dias da semana, no período nocturno, autorização para que o total de limite diário de captura seja igual ao estabelecido na Portaria 144/2009, ou seja 10Kg por pescador, e a permissão da apanha a todos os cidadãos do território nacional.

Por outro lado, o movimento pretende que sejam revistas as medidas que regulam o período de defeso do sargo, tanto a nível do espaço temporal, como geográfico ou área abrangida.

O defeso deveria assim ser feito apenas nas áreas de desova e abarcando todo o tipo de pesca.

A útima medida que apontam como alvo de revisão seria a que regula as zonas de interdição. o movimento acredita que a persca lúdica deveria ser permitida entre a Ponta da Baleeira e a Foz do Benaçoitão, restringindo a proibição aos Ilhotes do Martinhal.


Fonte: Barlavento Online

2 comentários

Anónimo

Não se esqueçam de participaR AO gOVERNO cIVIL, POR CAUSA DAS TRETAS.
Até vou de Braga manifestar-me em Odemira.
Nem pensem em não levar a sério os manifaestantes .
Ordeiramente não quer dizer falta de determinação, mas um aviso de perseverança.
Sou um pescador que pesca umas 3 ou 4 vezes em cada 5 anos, mas não admito esta falta de liberdade.

E detesto a arrogância do ICNB e do MAOTDR. Segundo vinha no jornal o Público um dirigente do ICN em 2000 mais ou menos pediu licença sem vencimento para vir Guerrear ca para fora, e veio cá para fora dar pareceres ao grupo que queria fazer e levar avante o Freeport.
Depois de terminada a empreitada com êxito regressou ao seio do Estado.
Imaginem agora os juízes, pedirem licença sem vencimento, virem dar pareceres e proporem acções para depois a julgarem pelos amigos...
Não terá sido bem assim, não é?

A CGD também comprou umas acções de um capitalista da Cimpor por um preço mais elevado que o da Bolsa para que este pagase a d+ivida que contraíu para comprar acções.
Certamente há muitas justificações para o que estão a fazer aos dinheiros do Estado que são os nossos dinheiros.
Porém, essas explicações, a meu ver, são idênticas às que o MAOTDR deu para as proibições da pesca desportiva.Desculpas esfarrapadas.
Haja moralidade, ou então comemos todos e a gamela não chega para todos.
Portanto tem mesmo que haver moralidade, quer queiram, quer não.
Aristides Ferreira.

Américo Neves 23/02/09, 21:04

Boas Aistides Ferreira

"Não se esqueçam de participaR AO gOVERNO cIVIL, POR CAUSA DAS TRETAS.
Até vou de Braga manifestar-me em Odemira.
Nem pensem em não levar a sério os manifestantes .
Ordeiramente não quer dizer falta de determinação, mas um aviso de perseverança.
Sou um pescador que pesca umas 3 ou 4 vezes em cada 5 anos, mas não admito esta falta de liberdade."

Julgo que já a devem ter participado ao Governo civil!

Realmente, ninguém pode ficar indiferente a tão grotesca falta de consideração e de sensibilidade para com quem por um lado vê as suas tradições se dissiparem sem mais nem menos e por outro, nós os pescadores que fazemos e vemos neste desporto uma maneira de estar em contacto com o "MAR" e
tudo o que de belo contêm!!!

De facto, cada vez mais vou tendo vergonha deste Portugal, mas a luta continua e juntos jamais seremos vencidos!

Um bem haja e obrigado pelo seu comentário.