Autor

Arquivo do blogue

O Argolão

O objectivo deste adereço é basicamente igual a de um cesto que se usa para recuperar um sargo, dourada, etc, mas tem uma diferença, um cesto quando desce pela seda abaixo e chega à água, é necessário que o peixe entre dentro e só ai puxamos a corda e recuperamos o peixe, com o argolão não, ao descer pela seda abaixo entra directamente na cabeça do safio na posição que desce e sendo um peixe de garro facilita a passagem entre .....

As minhas bóias

Já há algum tempo que andava a magicar como começar a construir bóias tipo peão para a pesca e enquanto não arranjei um bocadinho para me puder debruçar a sério sobre o assunto, não descansei!Como tal pus mãos à obra e começei por procurar em casas de materiais de bricolage o que era indispensável para elaborar as bóias e que o custo final não fosse demasiado dispendioso, em comparação com as bóias que se adquire em lojas de pesca.

Cesto(em processo)

Construção de um cesto para recuperação do pescado em certas situações......

ALZEJUR: Autarca optimista que "erro político" seja corrigido


Manuel Marreiros manifestou-se optimista que a prometida rectificação à portaria que restringe a pesca lúdica no Parque Natural da Costa Vicentina "corrija um engano político".





"Estou optimista que a rectificação da portaria vá ao encontro das pretensões de todos", destacou hoje o presidente do Município de Aljezur, classificando a portaria 143/2009, como "um engano político".

A rectificação da portaria que restringe a actividade de pesca lúdica no Parque Natural do Sudoeste Alentejano e Costa Vicentina, foi prometida quarta-feira pelo ministro do Ambiente, Nunes Correia, durante uma reunião com os presidentes das câmaras de Aljezur, Vila do Bispo e Odemira.

Na reunião, solicitada pelos autarcas, estiveram em análise as restrições impostas à pesca lúdica, pelas portarias 143/2009 e 144/2009, publicadas em Diário da República, em 05 de Fevereiro.

Um dos diplomas restringe a pesca lúdica a quatro dias por semana e a períodos de tempo limitados, impondo aos pescadores a prática da actividade entre quinta-feira e domingo e, aos feriados, do nascer ao pôr-do-sol.

Além de limitar o período de pesca, obriga a uma época de defeso de espécies piscícolas, nomeadamente o sargo, entre 01 de Janeiro e 31 de Março, e do bodião, entre 1 de Março e 31 de Maio, bem como a interdição de zonas e a redução do peso máximo de pescado.

Contudo, estas limitações não abrangem os pescadores profissionais, podendo estes pescar em qualquer época do ano qualquer das espécies "proibidas" aos pescadores desportivos.

A decisão governamental originou uma onda de protestos, que culminou com uma concentração de mais de três mil pescadores lúdicos, no dia 15 de Fevereiro, junto à Fortaleza de Sagres, para exigir a revogação "imediata" das portarias.

Aos protestos dos pescadores, juntaram-se os autarcas dos três concelhos abrangidos pelo Parque Natural do Sudoeste Alentejano e Costa Vicentina, e partidos políticos do Algarve e Alentejo.

O presidente da Câmara de Aljezur considerou que a reunião de quarta-feira com o ministro do Ambiente "foi produtiva", e acrescenta que "é com expectativa" que aguardará a proposta de rectificação antes da sua aprovação.

"Segundo o que nos foi dito, é que a portaria será rectificada e ajustada no prazo legal, que é de 60 dias", disse Manuel Marreiros, acrescentando que "o ministro mostrou preocupação e receptividade quanto ao assunto".

"Ainda não conhecemos a dimensão dessas rectificações, mas estou optimista que a solução encontrada será a melhor para todos", realçou o autarca.

Na opinião de Manuel Marreiros, "é importante que seja encontrada uma resolução rapidamente, até porque o país precisa de muita paz e estabilidade para ultrapassar o momento de crise em que se vive".


Veremos se foi só conversa da treta para empatar ou não!!





A minha nova arma



Andei a adiar para comprá-la, mas não tive alternativa assim que soube que já não iam fabricá-la mais, decidi comprá-la antes que alguém se antecedesse a mim.









É uma cana em carbono radial de alto módulo concebida para pesca com bóias pesadas e pequenas chumbadas. É também uma cana aconselhável para pesca na Costa Vicentina, de acção mais macia e ligeira que a "Ponta Ruíva", o que permite pescar com linhas mais finas.



Porta carretos tipo "Plate"







Passadores Anti-choque







Ainda não tive o prazer de estreá-la,estou ansioso para a ver em acção, mas tempo não me há-de faltar!!!


Um abraço e até breve





Ministro do Ambiente pode rectificar portaria

Reunião de quarta-feira foi produtiva e Nunes Correia mostrou receptividade quanto à rectificação da portaria da discórdia, que coloca restrições à pesca lúdica. Manuel Marreiros admite que é preciso urgência.





A reunião de ontem entre o Ministro do Ambiente, Nunes Correia, e os presidentes dos municípios de Aljezur, Vila do Bispo e Odemira, para discutir - entre outros assuntos - a portaria 143/2009, que limita a pesca lúdica na Costa Vicentina e Parque Natural do Sudoeste, “correu bem”.

“Apresentámos as nossas razões e tivemos uma boa receptividade da parte do Ministro. O que ficou em conclusão foi que a portaria irá ser rectificada no prazo legal [60 dias] no sentido de clarificar e ajustar as questões principais de que falámos”, relata ao Observatório do Algarve Manuel Marreiros, presidente da Câmara de Aljezur.

Segundo o autarca, houve três principais questões em cima da mesa para a rectificação: o número de dias em que se pode pescar; a pesca à noite e a proibição de apanhar marisco aos não residentes.

“Ainda não conhecemos a dimensão dessas rectificações, mas ficou acordado que iríamos saber antes de serem aprovadas. É da nossa convicção que ele irá propor as alterações para ir ao encontro das preocupações dos municípios e a das populações”, explica, mas salienta: “Era importante que fosse feito o mais rápido possível, porque a situação está a causar, para além do descontentamento que é conhecido, problemas de natureza económica ao pequeno comércio”.

Porém, Manuel Marreiros alerta: “Uma rectificação não é uma alteração. Mas esperamos que seja encontrada a criatividade adequada para dar a volta a toda esta situação”.

A portaria 143/2009, publicada no dia 5 de Fevereiro em Diário da República, tem sido foi alvo de inúmeras críticas e já levou a que mais de 3 mil pessoas saíssem à rua em forma de protesto (ver notícia aqui), bem como a críticas de vários políticos (ver notícia aqui).


Fonte: Observatório do Algarve

Presidentes de Junta de Freguesia contestam novo regime da pesca lúdica no Parque Natural

Os presidentes das Juntas de Freguesia dos quatro concelhos integrados no Parque Natural do Sudoeste Alentejano e Costa Vicentina (PNSACV) reuniram-se, na sexta-feira passada, para apreciar e aprovar uma posição conjunta, acerca das Portarias 143 e 144 de 5 de Fevereiro, que regulamentam a pesca lúdica no PNSACV.

«A diminuição dos dias de pesca, a interdição de zonas concretas de pesca/apanha, a proibição da apanha para os não residentes, a criação do defeso, são, neste momento, realidades, que merecem dos autarcas a mais veemente contestação, indignação, repúdio e inconformação» afirmam em comunicado a que o «barlavento» teve acesso.

Os autarcas das freguesias de Odeceixe, Aljezur, Bordeira, Rogil, Budens, Raposeira, Sagres, Vila do Bispo, Longueira, Almograve, São Teotónio, São Salvador, Zambujeira e Porto Covo lamentam que «o Governo e, em particular as tutelas envolvidas, tenham feito orelhas moucas» às propostas apresentadas pelos municípios integrados no PNSACV.

Por outro lado, consideram que, por serem as entidades mais próximas da realidade da população, tal como as Câmaras, as Juntas de Freguesia deveriam ter sido questionadas quanto às novas imposições.

Os autarcas das 13 freguesias salientaram que estas medidas vêm agravar e abalar a moral e auto-estima das populações, pois para elas «mar é sinónimo de liberdade, de parte suplementar de alimento e sustento, convívio e companheirismo», bem como dar um «rude golpe nas débeis actividades económicas» dos quatro concelhos.

Fazem ainda apelo ao «bom senso, aceitação, diálogo e reflexão», no âmbito das alterações às recém publicadas Portarias, alertando para a forte contestação social e outras formas de luta que se vão gerar.

Fonte: Barlavento Online

Presidentes das Câmaras de Aljezur, Vila do Bispo e Odemira encontram-se com ministro do Ambiente

Os presidentes das Câmaras de Odemira, Aljezur e Vila do Bispo vão esta quarta-feira reunir-se com o ministro do Ambiente Nunes Correia, em Lisboa, para debater as restrições impostas no Parque Natural do Sudoeste Alentejano e Costa Vicentina.