Autor

Arquivo do blogue

O Argolão

O objectivo deste adereço é basicamente igual a de um cesto que se usa para recuperar um sargo, dourada, etc, mas tem uma diferença, um cesto quando desce pela seda abaixo e chega à água, é necessário que o peixe entre dentro e só ai puxamos a corda e recuperamos o peixe, com o argolão não, ao descer pela seda abaixo entra directamente na cabeça do safio na posição que desce e sendo um peixe de garro facilita a passagem entre .....

As minhas bóias

Já há algum tempo que andava a magicar como começar a construir bóias tipo peão para a pesca e enquanto não arranjei um bocadinho para me puder debruçar a sério sobre o assunto, não descansei!Como tal pus mãos à obra e começei por procurar em casas de materiais de bricolage o que era indispensável para elaborar as bóias e que o custo final não fosse demasiado dispendioso, em comparação com as bóias que se adquire em lojas de pesca.

Cesto(em processo)

Construção de um cesto para recuperação do pescado em certas situações......

Interdição de pescar na Fortaleza

Fortaleza interdita à pesca desportiva


A pesca lúdica está proibida na fortaleza de Sagres por determinação da Direcção Regional da Cultura (DRC). A medida foi implementada na segunda-feira passada, depois de no domingo ali ter morrido um pescador amador, de 38 anos (ver apoios). Neste momento apenas podem pescar na fortaleza pescadores profissionais, residentes em Vila do Bispo e com cartão emitido pela DRC, a entidade responsável pelo monumento.

Isso mesmo foi confirmado ao CM pelo director regional da Cultura, que esclareceu tratar-se de uma medida "provisória", tomada por razões de "segurança". "Estamos a aguardar as conclusões de um estudo para melhorar as condições de segurança da pesca lúdica no promontório. Mas, até lá, entendemos que não devemos deixar praticar ali actividades perigosas, sobretudo por parte de quem não conhece bem a zona", referiu Gonçalo Couceiro.

A solução poderá passar pela colocação de redes nos pesqueiros, como já acontece no Parque do Sudoeste Alentejano e Costa Vicentina, mas nada está decidido.

A medida foi recebida com surpresa e indignação por parte dos muitos pescadores lúdicos que ali costumavam ir. "Trata-se de uma injustiça e de uma discriminação", acusou Daniel Porfírio, de Portimão, que pesca na Fortaleza "há 48 anos". "Agora nem me deixam lá entrar, o que é incompreensível. Se é por causa do perigo de acidentes então deviam também fechar as estradas, que é onde morre mais gente", observou ainda o pescador.

MORTES DUPLICARAM ESTE ANO

Este ano foram já oito as mortes de pescadores lúdicos ou de mergulhadores registadas na zona da Costa Vicentina. Os corpos de duas das vítimas continuam desaparecidos (uma caiu na Ponta dos Arquivos, em Vila do Bispo, e outra nas Pias Altas, Aljezur), referiu ontem ao CM o comandante da Capitania do Porto de Lagos, Marques Pereira, segundo o qual se registaram ainda dois feridos.

No ano passado ocorreram quatro mortes e em 2006 apenas duas. Registo ainda de um ferido, em cada um desses anos.

Quanto a acidentes com banhistas, utentes de praias ou pessoas em passeio, registaram-se este ano, naquela zona, três casos mortais. Uma das vítimas, um turista alemão que caiu na zona do Forte do Beliche, Sagres, em Fevereiro passado, continua desaparecida.

PORMENORES

QUEDA FATAL

O pescador lúdico que morreu na tarde de domingo na fortaleza de Sagres, vítima de uma queda da falésia, era de Almancil, Loulé. Estava acompanhado por um amigo e caiu de uma altura de cerca de 40 metros. Foi arrastado pelo mar, de onde foi resgatado o corpo.

ACESSO

O acesso à fortaleza de Sagres por parte de pescadores lúdicos era, até esta semana, concedido de forma gratuita apenas a residentes do concelho de Vila do Bispo. Os restantes tinham de pagar entrada.

SEM INFORMAÇÃO

A Autoridade Marítima (AM) não foi informada da interdição à pesca lúdica na Fortaleza: "A AM não tem qualquer intervenção no caso, sendo o acesso àquele espaço exclusivamente da responsabilidade da Direcção Regional da Cultura", referiu uma fonte.

Fonte: correio da manhã

Não sei qual é a conclusão que se pode tirar depois de ler esta noticia, mas para mim sinceramente não sei o pensar!!!

*Será que os pescadores da Vila do Bispo que pescam nas mesmas condições não estão sujeitos aos mesmo perigos que os outros que lá cairam e perderam a vida ???

Uma coisa é certa, são pessoas como os outros e não estão livres do mesmo perigo!

*Só podem pescar "Pescadores profissionais" e com cartão emitido pela DRC ???

Não me lembro de haver cursos especiais para atribuição de licenças de pesca ludica profissional no qual lhes dá acesso exclusivo e que permitem pescar em determinados locais sendo a Fortaleza de Sagres um deles!

*Quais são as vantagens e no quê é que esta classificação os distingue dos outros chamados de pescadores amadores ???

Que eu saiba, não há lá bancos com cintos de retenção nem outro meio que lhes possa asegurar que podem pescar em segurança. Decerto que todos os que lá pescam estão sujeitos a situações de risco e não existe vantagens que lhes possam garantiar o regresso a casa com vida. Isto é como tudo na vida, cada um tem que ter consciência daquilo que está a fazer.

*Se é para interditar que seja para todos, não é com medidas de pura descriminação que vão resolver a situação.