Autor

Arquivo do blogue

O Argolão

O objectivo deste adereço é basicamente igual a de um cesto que se usa para recuperar um sargo, dourada, etc, mas tem uma diferença, um cesto quando desce pela seda abaixo e chega à água, é necessário que o peixe entre dentro e só ai puxamos a corda e recuperamos o peixe, com o argolão não, ao descer pela seda abaixo entra directamente na cabeça do safio na posição que desce e sendo um peixe de garro facilita a passagem entre .....

As minhas bóias

Já há algum tempo que andava a magicar como começar a construir bóias tipo peão para a pesca e enquanto não arranjei um bocadinho para me puder debruçar a sério sobre o assunto, não descansei!Como tal pus mãos à obra e começei por procurar em casas de materiais de bricolage o que era indispensável para elaborar as bóias e que o custo final não fosse demasiado dispendioso, em comparação com as bóias que se adquire em lojas de pesca.

Cesto(em processo)

Construção de um cesto para recuperação do pescado em certas situações......

A Dourada


Ouvi dizer que elas andam ai e algumas até de bom porte, mas ainda não tive tempo para lhes fazer uma visita este ano, então decidi colocar aqui, um tópico que tem como objectivo, descrever melhor este magnifico peixe.



Nome Científico: Sparus Aurata
Classe: Actinopterygii
Ordem: Perciformes
Família: Sparidae


Caracteristicas
È um peixe de corpo oval, bastante elevado e comprimido. Perfil da cabeça regularmente convexo e pequeno. Boca baixa, um pouco inclinada. Com Lábios espessos, possuindo uma forte dentadura, composta por 4 a 6 dentes caniniformes em cada maxila, seguidos posteriormente por dentes mais obtusos, que progressivamente se tornam molariformes e se compõem de 2 a 4 filas, (dentes nas duas filas exteriores mais fortes).



Possui Branquiespinhas curtas, 11 a 13 com 7 ou 8 inferiores e 5 (raramente 4) a 6 superiores. Barbatana dorsal com 11 espinhas e 13 ou 14 raios moles (segmentados). Barbatana anal com 3 espinhas e 11 ou 12 raios moles. Possui entre 73 a 85 escamas ao longo da linha lateral. Coloração: cinza prateada com uma grande mancha preta por cima do opérculo e sublinhada por uma zona avermelhada e claro a inconfundível mancha dourada, pela qual ficou conhecida, entre os olhos contornada por duas zonas mais escuras (menos visível nos jovens).



Distribuição Geográfica

È uma espécie comum no Mar Mediterrâneo, presente ao longo das costas Atlânticas orientais da Grã-Bretanha ao Senegal, e rara no Mar Negro.



Habitat & Biologia

Os adultos chegam a aparecer até os 150m de profundidade, mas geralmente habitam zonas até aos 30m, preferindo fundos rochosos, também com alguma vegetação e em fundos arenosos com alguma posidónia. Sendo uma espècie que tolera vários niveis de salinidade, na Primavera muitas vezes ocorrem em águas salobras( lagoas costeiras e estuários).
Reproduz-se no Inverno, geralmente a partir de Outubro a Dezembro. È um peixe sedentário, solitário, encontrando-se por vezes em pequenos cardumes. Muito sensivel a temperaturas baixas, sendo o seu limite letal minimo de 4ºC. Esta espécie é hermafrodita protândrica, ou seja, atinge a sua maturidade como machos em 2 anos de idade(20-30cm) tornando-se depois em fêmeas em 2-3 anos(33-40cm), mas nem todos seguem este padrão, porque alguns atrasam ou nunca alcançam a reversão do sexo, possivelmente devido a sua relação social com o meio ambiente e factores genéticos.


Alimentação

Alimenta-se de peixes pequenos, mas as suas preferências são os moluscos bivalves e crustáceos.
Ex: Mexilhão, Lingueirão ou Navalha, Caranguejo.







* A última vez que as apanhei, já foi há dois anos e foram duas, uma com 1,500kg e outra com 2,400kg de noite ao fundo com lingueirão, que devido á maneira como elas se debateram, me deixaram com um sorriso de orelha a orelha.


Até breve, um abraço.