Autor

Arquivo do blogue

O Argolão

O objectivo deste adereço é basicamente igual a de um cesto que se usa para recuperar um sargo, dourada, etc, mas tem uma diferença, um cesto quando desce pela seda abaixo e chega à água, é necessário que o peixe entre dentro e só ai puxamos a corda e recuperamos o peixe, com o argolão não, ao descer pela seda abaixo entra directamente na cabeça do safio na posição que desce e sendo um peixe de garro facilita a passagem entre .....

As minhas bóias

Já há algum tempo que andava a magicar como começar a construir bóias tipo peão para a pesca e enquanto não arranjei um bocadinho para me puder debruçar a sério sobre o assunto, não descansei!Como tal pus mãos à obra e começei por procurar em casas de materiais de bricolage o que era indispensável para elaborar as bóias e que o custo final não fosse demasiado dispendioso, em comparação com as bóias que se adquire em lojas de pesca.

Cesto(em processo)

Construção de um cesto para recuperação do pescado em certas situações......

Contudo... uma boa pesca

Ontem como o meu tio já tinha combinado uma pesca com mais um companheiro e sendo o meu ultimo dia de descanso antes de começar à escola, decidi acompanhá-los em mais uma pesca, quanto mais não fosse só para descontrair, porque para o pesqueiro que era (que nunca me deu grande coisa) e depois de tanto tempo parado, uma pessoa tem que fazer exercicio, senão enferruga!!!! E assim foi de manhã ás cinco da matina encontrámo-nos para beber o café e depois seguimos para o local.  O mar à chegada parecia muito e ainda estivemos relutantes em mudar de pesqueiro, mas como a maré estava na enchente as condições poderiam mudar e decidimos apostar ali, o que veio a revelar-se uma boa opção, pois o mar caiu um pouco e foi sempre mexendo de forma a que a àgua se manteve sempre bastante oxigenada e com um baldinho de engodo manhoso a ajudar, o peixe acabou por aparecer, tudo de 300gr pra cima até ao quilo e tal. 


Os restantes companheiros também se safaram bem, pois tiraram lá peixe que até parecia escolhidos a dedo, até uma dourada de kilo e meio veio sem cesto e sem medos( malta rija) hehehe... contudo foi uma manhã muito bem passada. Ainda deu para ver como se portaram as bóias torpedo "caseirinhas" com mar, que passaram no teste com distinção.


Um abraço e até ao meu regresso