Autor

Arquivo do blogue

ALZEJUR: Autarca optimista que "erro político" seja corrigido


Manuel Marreiros manifestou-se optimista que a prometida rectificação à portaria que restringe a pesca lúdica no Parque Natural da Costa Vicentina "corrija um engano político".





"Estou optimista que a rectificação da portaria vá ao encontro das pretensões de todos", destacou hoje o presidente do Município de Aljezur, classificando a portaria 143/2009, como "um engano político".

A rectificação da portaria que restringe a actividade de pesca lúdica no Parque Natural do Sudoeste Alentejano e Costa Vicentina, foi prometida quarta-feira pelo ministro do Ambiente, Nunes Correia, durante uma reunião com os presidentes das câmaras de Aljezur, Vila do Bispo e Odemira.

Na reunião, solicitada pelos autarcas, estiveram em análise as restrições impostas à pesca lúdica, pelas portarias 143/2009 e 144/2009, publicadas em Diário da República, em 05 de Fevereiro.

Um dos diplomas restringe a pesca lúdica a quatro dias por semana e a períodos de tempo limitados, impondo aos pescadores a prática da actividade entre quinta-feira e domingo e, aos feriados, do nascer ao pôr-do-sol.

Além de limitar o período de pesca, obriga a uma época de defeso de espécies piscícolas, nomeadamente o sargo, entre 01 de Janeiro e 31 de Março, e do bodião, entre 1 de Março e 31 de Maio, bem como a interdição de zonas e a redução do peso máximo de pescado.

Contudo, estas limitações não abrangem os pescadores profissionais, podendo estes pescar em qualquer época do ano qualquer das espécies "proibidas" aos pescadores desportivos.

A decisão governamental originou uma onda de protestos, que culminou com uma concentração de mais de três mil pescadores lúdicos, no dia 15 de Fevereiro, junto à Fortaleza de Sagres, para exigir a revogação "imediata" das portarias.

Aos protestos dos pescadores, juntaram-se os autarcas dos três concelhos abrangidos pelo Parque Natural do Sudoeste Alentejano e Costa Vicentina, e partidos políticos do Algarve e Alentejo.

O presidente da Câmara de Aljezur considerou que a reunião de quarta-feira com o ministro do Ambiente "foi produtiva", e acrescenta que "é com expectativa" que aguardará a proposta de rectificação antes da sua aprovação.

"Segundo o que nos foi dito, é que a portaria será rectificada e ajustada no prazo legal, que é de 60 dias", disse Manuel Marreiros, acrescentando que "o ministro mostrou preocupação e receptividade quanto ao assunto".

"Ainda não conhecemos a dimensão dessas rectificações, mas estou optimista que a solução encontrada será a melhor para todos", realçou o autarca.

Na opinião de Manuel Marreiros, "é importante que seja encontrada uma resolução rapidamente, até porque o país precisa de muita paz e estabilidade para ultrapassar o momento de crise em que se vive".


Veremos se foi só conversa da treta para empatar ou não!!





2 comentários

Anónimo

Amigo Neves,

Não se iluda. O "presente" para os pescadores profissionais está no projecto do novo POrdenamento do PNSACV que "eles" querem impõr.
É que prevêem ali uma reserva absoluta por onde os barcos embora possam(?) passar, não podem pescar.
Não pense que a luta é assim tão fácil e se o for é porque é ano de eleições.
Um abraço
Américo Bordeira

Américo Neves 01/03/09, 22:43

Viva Américo Bordeira

Companheiro, já estou tão escaldado com qualquer governo, que não é este que me vai iludir assim tão cegamente e coitado daquele que ficar, pois vai ter muito desgosto!!

Deram um prazo de 60 dias para puderem rectificar as portarias!
Pois bem, ao fim desse tempo, por aqui já se pode pescar aos sargos e certamente que muitos com a cegueira da pesca, vão esquecer por momentos as portarias(espero que não), as coisas vão arrefecer e depois será mais dificil fazer ver que as coisas estão mal!!

Mas vamos dar tempo ao tempo!!
Para mim, só quando estiver "bem escrito em papel" essas tais rectificações(se é que em algum momento as vão rectificar)é que fico convencido, até lá...é esperar!!

Um abraço e obrigado pela visita