Autor

Arquivo do blogue

Um dia de pesca

Hoje foi dia de mais uma jornada de pesca.

Combinei com o amigo Roger, para irmos fazer uma pescaria até á costa norte, a maré como dava tarde, decidimos que não valia a pena levantar muito cedo e assim aproveitava-mos para ficar no choco mais um bocado.
Por volta das nove e pouco, cheguei a Lagoa para ir buscar o Roger, que por incrível que pareça, conseguiu estar a horas no ponto de encontro e até já tinha tomado o pequeno-almoço, duas vezes.
Tomámos o café da ordem e partimos até á costa norte.
Quase a chegar á Carrapateira, notámos que o vento está forte e como tal, vai ser um dos factores a ter em conta para a escolha do pesqueiro, mas não iria ser o único factor….
Pois é, quando lá chegámos e como é normal nesta altura do ano, notou-se a presença de alguns carros, mas os pescadores, eram mais que às mães!!
Bem, tínhamos de ficar nalgum lado e como tal começámos á procura de pesqueiro.
Lá conseguimos encontrar um sítio baixo, mas o vento, esse, é que se afirmava que nem tão cedo se iria.
A água estava óptima para que o peixe lá andasse, mas como a maré estava muito escorrida, decidimos esperar um pouco, até que enchesse mais.



Entretanto, fomos preparando o material e como tinha adquirido um fluorcarbono novo, decidi experimentá-lo para saber se era um elemento chave para fazer equipa com o meu fiel Mirage da Yo-zuri.



Já era tempo de pôr as canas de molho e começámos a iscar o famoso ralo, para começar.
A água mantinha-se boa e á excepção do vento forte, havia condições para o peixe aparecer.





Nos primeiros lançamentos, o ralo vinha tal e qual como foi, decidimos experimentar a gamba, para testar os apetites do peixe, mas a bóia nem se mexia e partimos para os moradores (tipo caranguejos eremitas), mas……..
Após algumas horas, estava visto que tínhamos escolhido mal o dia para a pescaria, era daqueles dias que nós dizemos “devia ter ficado mas era em casa”. Então decidimos partir em busca de outro pesqueiro, desta vez mais a sul (Sagres).





Chegámos a Sagres e como o estômago já pedia alimento, parámos num café para comer uma bucha e depois iríamos partir á procurar de pesqueiro.
A água estava lusa(limpa), o vento ali também se mantinha forte e claro com umas condições destas, notava-se perfeitamente que os pescadores eram muito poucos.
Mas como tínhamos tirado o dia para a pesca, fomos á procura de um pesqueiro mais abrigado do vento e onde a água mexesse mais.
Acabámos por encontrar um, que nos agradou e toca de meter o material na água.


Logo no primeiro lançamento o Roger engata logo um sargote com umas 300gr, o que era um bom sinal!
Lançamento para ali, lançamento para acolá e lá se engatava daquelas medalhas, como nós chamamos aqueles sarguetes que só têm os olhos, que logo devolvíamos á água.
O tempo passava e o peixe digno de se ver, nada!!

Com a tarde quase toda passada e a maré cada vez mais escorrida, era tempo de arrumar a trouxa e rumarmos a casa, pois tinha chegado ao fim, mais um dia de pesca, que mesmo sem o factor importante dar o ar da sua graça, tinha sido um dia espectacular muito bem passado na companhia de um amigo e á beira-mar.

Enfim, melhores dias virão.

2 comentários

. 18/09/08, 19:15

Peço desculpa pela falha das fotos, mas com o entusiasmo de fazer o artigo, cometi um erro, vá lá que os amigos informaram-me.

Um abraço e boas pescas a todos

Américo Neves

. 18/09/08, 19:16

Nice photos!!! Uma água tão boa e neca..... Haja paciência, mas acho que este ano não há fumadores pra ninguém.

Filipe Cintra